segunda-feira, 20 de outubro de 2008

PREFEITOS E SOCIEDADE CIVIL SE REUNEM EM ILHÉUS PARA DISCUTIR A SITUAÇÃO ATUAL DO AEROPORTO JORGE AMADO

Prefeitos da Amurc, o Deputado Federal Roberto Brito e a Deputada Estadual Angela Sousa.
Sociedade civil organizada, atuante e cobrando o direito de todos.
Prefeito de Buerarema e Presidente da Amurc, Orlando Filho e o Prefeito eleito de Ilhéus Nilton Lima.
Cel. Winston Meireles explanando seu parecer aos presentes.
Cel. Winston Meireles, Maria Morais e o Prefeito eleito de Itabuna, Capitão Nilton Azevedo.

Estiveram reunidos na tarde de hoje no Fórum da Justiça Federal em Ilhéus, os prefeitos eleitos de Una, Itabuna, Ilhéus, Buerarema e Itacaré, a Deputada Estadual Angela Sousa, o Deputado Federal Roberto Brito e representantes de diversos setores da sociedade, Luiggi Massa (Atil), Cel. Gentil Pires e Afredo Landim, para exposição e discussão das questões que estão causando os entraves que impedem o funcionamento regular do aeroporto.
A Cooperbom Turismo esteve representada por seu Diretor Presidente Cel. Winston Meireles, que explanou seu parecer sobre a questão do ponto de vista técnico e pessoal, e Maria Morais, Diretora Assistente. Segundo o Cel. Winston Meireles, "não se pode esquecer que a alarmante perda de empregos na região, pode indiretamente matar muito mais que o quase improvável risco de acidente aéreo poderia causar, haja visto os quarenta anos sem qualquer acidente que possui o currículo de nosso aeroporto. O que falta é coragem política de nossas autoridades para tirar do colo dos técnicos a responsabilidade do que poderia ocorrer".
Na oportunidade, foi definida a criação de uma comissão que se dirigirá à Salvador na próxima terça-feira para uma audiência com o Governador Jacques Wagner e então a mesma comissão poderá ir à Brasília a depender do que ocorrer. Certamente que a situação exige uma rápida tomada de decisão, uma vez que o governo federal liberou cerca de 98 milhões de reais para a reforma de alguns aeroportos, incluindo o de Porto Seguro, sendo que Ilhéus ficou de fora. Empresas que operavam em Ilhéus já estão de partida para Porto seguro, o que nos faz perceber que uma vez instaladas e com investimentos feitos, obviamente que não retornarão à Ilhéus se for o caso e desta forma todos estamos perdendo. Economicamente, as perdas já estão imensuráveis, a cadeia produtiva está em quebra em vários de seus elos, o que gera desemprego e mínima qualidade de vida à população não apenas de Ilhéus, mas de toda a região.
Segue abaixo um resumo do levantamento feito pelo empresário do ramo turístico Alfredo Dantas Landim sobre a situação do Aeroporto desde o início do caos.

SITUAÇÃO DO AEROPORTO DE ILHÉUS
Por Alfredo Dantas Landim*
A partir do NOTAM B 1049/2008, expedido pela ANAC (Agencia Nacional de Aviação Civil), que passou a vigorar a partir de 16/09/2008, este aeroporto, situado em Ilhéus, passou a operar pousos e decolagens, exclusivamente sob condições visuais (VFR) e não mais por instrumentos (IFR não-precisão). Como este NOTAM foi anunciado com antecedência, as empresas aéreas anteciparam o cancelamento definitivo de 02 vôos noturnos diários e 04 fretamentos semanais, o que vem causando grandes prejuízos à Região.
Estes vôos foram cancelados porque, operando visualmente, as condições meteorológicas durante a noite apresentam-se mais complexas do que no decorrer do dia e também pelo fato de a maioria das indústrias fabricantes de aeronaves não garantirem seguro aos aviões que operam à noite.
Na situação anterior, quando operava por instrumentos, a aeronave era orientada por controladores, utilizando procedimentos de GNSS/GPS até chegar aos 700 pés, ou 231 metros de altura e a uma distancia aproximada de 2 km. A partir daí, o pouso era visual. Na situação atual, operando visualmente, os instrumentos colocam o piloto a 3.000 pés ou 990 metros de altura e a uma distancia de 5 km do referido aeroporto, devendo, a partir daí, o procedimento ser exclusivamente visual.
Nos dias 19 e 26 de setembro foram cancelados, respectivamente, 04 e 02 vôos diurnos porque, nas imediações deste aeroporto permaneceram, durante aqueles dois dias, nuvens de “teto baixo”, que não permitiram ao piloto visualizar o aeroporto, quando a aeronave estava a 990 m. de altura e a 5 km de distancia. Se o aeroporto operasse por instrumentos, certamente estes vôos teriam sido autorizados a pousar, uma vez que os pilotos teriam a certeza absoluta que, perfurando aquelas nuvens, estariam numa aerovia desobstruída. Esta instabilidade também pode motivar outra Cia. aérea de menor porte, que opera neste aeroporto e que mantém dois vôos regulares aos domingos a cancelá-los em definitivo. O cancelamento desses e de outros vôos, que podem vir a ocorrer, causarão prejuízos incalculáveis a todos os setores da economia regional.
Quem garante, diante de tantas incertezas, que as companhias aéreas teriam interesse em ainda continuar a operar neste aeroporto? E como ficam a Indústria do Turismo, o Pólo de Informática, o comércio e outros setores da economia, que operam na Região e que foram estimulados a crescerem, tendo como ponto de apoio o aeroporto Jorge Amado?
Dos 67 obstáculos existentes neste aeroporto, apontados pelo relatório do CINDACTA, entidade vinculada ao Ministério da Defesa, 65 já foram removidos, restando apenas dois imóveis, mas ambos deverão sofrer rebaixamento de pequenas proporções, a fim de se adequarem aquele relatório. Cumpridas essas exigências, o pouso será permitido sob condições visuais quando a aeronave estiver a uma altura de 495 metros, portanto, houve redução neste parâmetro, mas a distancia permanecerá em 5 km.
A retirada daqueles obstáculos apenas facilitará os vôos visuais das aeronaves A-319 (transporta 144 passageiros) e similares, impedindo que este aeroporto seja rebaixado para a Categoria 2, quando operariam exclusivamente aviões menores e que transportam menos de 100 passageiros.
Com referência a ações judiciais, o Juiz Federal desta Comarca, deferiu pedido do Município de Ilhéus, assegurando as mesmas condições de operações anteriores aquele NOTAM. A ação está em andamento, mas as rés se recusaram a cumpri-la, podendo o Juiz vir a fixar multa diária, visando compeli-las a acatarem a decisão judicial.
Em resumo, diante de tantas incertezas e transtornos, que já perduram por mais de um ano, qual será o foco da Sociedade Organizada do Sul da Bahia, a partir de agora, para colocar este Aeroporto dentro de uma normalidade, que traga tranqüilidade e sustentabilidade à Região Cacaueira da Bahia? Apenas duas questões:
a) No curto prazo, que este aeroporto continue a operar por instrumentos, com aeronaves A-319 e similares. Esta deve ser uma decisão política, levando em conta que Congonhas e Santos Dumont operam por instrumentos, têm 498 e 190 movimentos (pousos e decolagens) diários, respectivamente, enquanto o aeroporto Jorge Amado tem atualmente apenas 8 procedimentos, podendo chegar a mais de 14, como ocorria até agosto de 2007, excluindo os vôos charters. O fato importante é que aqueles aeroportos possuem obstáculos em maior número e de maior periculosidade do que o aeroporto de Ilhéus, tornando este menos perigoso do que aqueles. O Brasil se diz um país justo, mas neste caso não está ocorrendo isonomia de tratamento.
b) No médio prazo, o Governador do Estado da Bahia, deve definir quando se iniciarão as obras do novo aeroporto, origem e montante dos recursos existentes, onde estão alocados, previsão de inauguração, e uma vez concluídas as obras, certamente serão solucionados todos os problemas de operações que as aeronaves enfrentam no aeroporto atual.
É de Responsabilidade das autoridades constituídas, principalmente as da Bahia, Governador, prefeitos da Região Cacaueira, Deputados da Bancada Federal e Estadual, primeiro se atualizarem a respeito do assunto, lendo todos os documentos já elaborados. A seguir, devem efetivamente interceder junto ao Presidente da República e demais dirigentes das Instituições Federais envolvidas (Ministério da Defesa, ANAC e DECEA) no sentido de buscar a efetivação das medidas apontadas, com o objetivo de permitir a essa Região a retomada do crescimento e do desenvolvimento econômico.
__________________________
(*) Empresário do segmento turístico e delegado da ABAV (Associação Brasileira dos Agentes de Viagem), na Costa do Cacau. Artigo publicado no dia 30/9/2008 pelo Diário de Ilhéus e Jornal Agora, de Itabuna.

A COOPERBOM TURISMO E O ESPAÇO RED GRILL - UMA PARCERIA DE SUCESSO!









Aconteceu na última terca-feira às 20 horas, a primeira aula aberta à comunidade e à todas as academias de Ilhéus e Região.
A aula ocorreu no Espaço Red Grill, próximo à sede da Cooperativa e foi filmada pela TV Sta. Cruz que exibiu a matéria no BA TV deste sábado (18/10) ao meio dia.
O tema abordado foi a Dança de Salão e seus benefícios, foram entrevistados nosso Diretor Presidente, Cel. Winston Meireles, Maria Morais (diretora assistente), Bianca Lavigne (profª de dança de salão), Emmanuel Delvo e Elizabeth Custódio (alunos e cooperados).
Quem está cansado da rotina das academias encontra uma boa alternativa nas aulas de dança de salão. Zouk, tango, forró, bolero e outras modalidades já viraram mania em vários lugares. É uma excelente atividade física! Pode-se queimar 700 calorias em uma hora.
As pessoas que têm o hábito de dançar em salões apresentam uma mudança significativa de comportamento: menos timidez, mais confiança, mais vontade de encontrar os amigos e de sair para as baladas. O equilíbrio emocional, tão importante para emagrecer e manter o peso desejado é mais facilmente alcançado e se torna um fator decisivo para conquistar um corpo mais saudável.
Dançar aumenta a freqüência cardíaca, estimula à circulação do sangue, melhora a capacidade respiratória e queima muitas calorias. A dança de salão é essencialmente uma atividade social e provoca uma sensação de bem-estar psicológico. Permite a troca de experiências, estimula o diálogo e aumenta a motivação.
Homens e mulheres procuram a dança por motivos diferentes. Elas vão em busca de uma atividade prazerosa que possa aliviar as tensões. Eles geralmente vão arrastados pelas esposas e namoradas. Os solteiros freqüentam os cursos de dança para conhecer pessoas ou para perder a timidez.
Existe o preconceito de que dança de salão é “coisa de velho” e de que alguns ritmos, tais como o bolero, é “coisa careta”. Ao freqüentar os salões de dança, esse conceito muda rapidamente e todos acabam adorando dançar.
Para aproveitar todos os benefícios dessa atividade e arriscar os primeiros passos, o ideal é freqüentar um curso de dança de salão. Mesmo que no começo pareça difícil sincronizar os passos com os do parceiro, com mais ou menos três meses de aula até os mais desajeitados já “fazem bonito”.
A dança de salão está na moda e pode ser uma boa alternativa para queimar muitas calorias. Além disso, é possível conhecer um monte de gente e divertir-se para valer. Experimente, não há contra-indicação.
As aulas estão acontecendo no ESPAÇO RED GRILL e as matrículas estão abertas na sede da COOPERBOM TURISMO das 14:30 às 18:00hs, de segunda a sexta-feira.
Uma parceria entre a COOPERBOM TURISMO e o ESPAÇO RED GRILL promoverá quinzenalmente Baile aos sábados aberto à comunidade e aos turistas que estarão na cidade, temos professores de dança para ensinar a coreografia dos ritmos a quem estiver no salão.

Participem! Dançar traz equilíbrio, faz bem ao corpo e à alma.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

GRUPO REFLEXÃO DE SÃO PAULO EM ILHÉUS-BAHIA - Clique no site Psi-ecologia ao lado e conheça este grupo.

Profº Marco Antônio Chimento e Profª Nair Kaminsky, dirigentes do Grupo Reflexão.
Cel. Meireles e a bela dançarina do Grupo Reflexão.
Profª Nair, Marco Antônio e uma das "Garotas" do Grupo.
Cel Meireles e mais uma dançarina do Grupo.
O Casal Harmonia do Grupo.
Dançar faz bem para o corpo e para a alma....
O doce sorriso da felicidade.
Grupo em movimento.
Momento de descontração das meninas.
Maria Morais ao lado das Senhoras do Grupo.
A alegria é contagiante...
A dança e a música em sintonia com a alma.
O Profº Marco Antônio e as Senhoras do Grupo Reflexão em movimento.
Momento de descontração....

Cel. Winston Meireles, Profº Marco Antônio e Profª Nair.
Uma demonstração do trabalho do Grupo Reflexão.
A Expressão Corporal e a dança na busca do equilíbrio.
Tivemos a grata oportunidade de conhecer o trabalho do Grupo Reflexão de São Paulo, eles estão hospedados no Hotel Jardim Atlântico, em Ilhéus-Bahia. É um projeto criado e dirigido pelo Profº Marco Antônio Chimento, Psicólogo, Psicossomatista e Psicoterapeuta Corporal. É professor da PUC, da Unisantana e da UATI para a terceira idade. O Grupo Reflexão, cujas idades variam entre 40 e 86 anos, existe há cerca de seis anos, e é um exemplo impressionante de que o que parece impossível é possível para essas senhoras que estão na chamada terceira idade. Por meio da reeducação corporal e da recuperação da essência dos gestos humanos pelos movimentos, a apresentação do trabalho do grupo, demonstra os excelentes resultados obtidos na coordenação motora, que trazem às suas integrantes equilíbrio emocional, orientação espacial, postura corporal, dança, leveza, profundidade, mudança.
Em trabalho conjunto com a Profª Nair Kaminsky, Psicóloga, Psicoterapeuta Familiar e Gerontóloga Psicossomatista, autora de dois artigos “ PROCESSO PSICOSSOMÁTICO EXISTENCIAL ” e "SEU CORPO, SEU MUNDO ”.


No primeiro artigo ela expõe que " ...o indivíduo é um produto da hereditariedade, do social, do cultural e produto, principalmente, da objetividade do inconsciente que manifesta honestamente, através dos sintomas, a incapacidade de expressão dos seus conflitos emocionais". No segundo artigo, ela fala das raízes do corpo, onde "Estruturalmente vida, corpo e natureza se fundem, nesse processo formativo a atitude envolve a mente e os aspectos celulares, musculares e emocionais. Crenças extremamente rígidas produzem atitudes rígidas e corpo rígido. É um corpo que não pode se sentir livre é um corpo que não se move livremente. São sentimentos contidos, aprisionados, acorrentados como o corpo".

O Grupo Reflexão se apresenta regularmente em eventos e a COOPERBOM TURISMO os convidou para se apresentarem no 1º FESTIVAL DE DANÇA DE SALÃO que ocorrerá em fevereiro aqui em Ilhéus, o qual foi prontamente aceito pelo Profº Marco Antônio. Vamos esperar com alegria o momento de prestigiar uma apresentação deste tão harmonioso Grupo Reflexão. Vale a pena ler os artigos indicados abaixo.


Para ler os artigos da Profª Nair Kaminsky, acesse:


Para ler a entrevista do Profº Marco Antônio, acesse:

sábado, 11 de outubro de 2008

IX JORNADA DE CARDIOLOGIA - REGIONAL SUL DA BAHIA






O melhor da cardiologia esteve presente em Ilhéus nesta sexta e sábado, 10 e 11 de outubro, na IX Jornada de Cardiologia Regional Sul da Bahia. Os maiores especialistas como o Dr. Gilson Feitosa, Dr. Gilson Feitosa Filho, Dr. Fábio Meireles, Dr. Jairo Xavier, Dra. Fanny Reinel, Dr. Perivaldo Teixeira, Dr. Archibaldo Barreto, entre outros, além de nutricionistas, enfermeiros e estudantes participaram do evento, que foi presidido pelo médico cardiologista Dr. Ademir Hildo de Medeiros. Os assuntos discutidos na jornada foram abrangentes na área de cardiologia, no dia a dia da prática médica, com grande interesse para o cardiologista, clínico, intensivista, emergencista, enfermeiro e nutricionista. Os médicos José Augusto A. de Andrade, Marisa Kruschesky, Nei Dortas e Lorena N. de Assis, fizeram parte da comissão organizadora, que elaboraram no Auditório da Unimed Ilhéus, a oficina para pacientes, atividade para a participação de todos, com exposição e debates sobre como cuidar da saúde do coração, com temas como hipertensão arterial, colesterol e obesidade, onde foram orientadas práticas sobre a medição da pressão arterial.
A Cooperbom Turismo esteve presente no evento a convite do Presidente Dr. Ademir Hildo de Medeiros.

Cuide bem do seu coração, assim ele vai bater mais forte!

Apoio: Sociedade Brasileira de Cardiologia - Seção Bahia Regional Sul.

ENCONTRO FESTIVO NA COOPERBOM TURISMO










Nesta sexta-feira 10, aconteceu o encontro mensal na sede da Cooperbom Turismo onde o nosso Diretor Presidente Cel. Winston Meireles, após fazer o relatório dos trabalhos desenvolvidos na Cooperativa, convidou a todos para uma alegre confraternização.

sábado, 4 de outubro de 2008

A COOPERBOM TURISMO APOIA A 1ª COPA DA AMIZADE DE JIU-JITSU EM ILHÉUS



Cel. Winston Meireles (Cooperbom Turismo) e China ( Academia China De La Riva).
Alunos da Academia China De La Riva.
















Neste sábado, 04 de outubro aconteceu a I Copa da Amizade de JIU-JITSU em Ilhéus. O evento teve lugar no Clube Social e foi promovido pela Academia China De La Riva que tem a coordenação do Professor China, renomado faixa-preta de JIU-JITSU e ex-aluno de De La Riva, do Rio de Janeiro.
Participaram academias de Itabuna e Ilhéus, como a Simetria Fight, Rogério Marshal, China De La Riva, Alexandre dos Santos da Tonus, Shiran, Lija e Raiz.
As vantagens do Jiu-Jitsu é que ele trabalha e define principalmente a área superior do corpo, como braços, ombros, abdômem e quadril, aumenta a resistência do organismo, melhora a capacidade cardiovacular e respiratória.
O JIU-JITSU é uma perfeita arte científica marcial de defesa pessoal. Em combate real é invencível contra qualquer modalidade de luta. É superior a todos os demais estilos por ser o mais completo.
Por volta de 1914, chegava ao Brasil o professor e campeão mundial de JIU-JITSU, KONSEI MAEDA, conhecido como CONDE KOMA – que obteve grandes vitórias, em todo mundo, sobre todas as formas de lutas. Em Belém do Pará, o professor Koma passou a lecionar o verdadeiro JIU-JITSU, a seu dileto aluno Carlos Gracie, que chegando ao Rio de Janeiro (em 1920) acompanhado de seus irmãos mais novos, fundou a primeira academia de JIU-JITSU (localizada à Rua Marquês de Abrantes, Praia do Flamengo). A partir daí, o JIU-JITSU passou a ser difundido com sangue e suor. A luta de kimono, desconhecida para os brasileiros, foi-se impondo, através de vitórias , contra todas as formas de luta que aqui existiam como a Capoeira, a Greco-Romana, o Boxe e, mais tarde, quando aqui chegou, o Judô Esportivo e (recentemente) o Karatê-Dô esportivo. Lutas épicas e memoráveis de Hélio Gracie (contra adversários fisicamente mais fortes) colocaram o JIU-JITSU brasileiro acima de todas as demais formas de lutas. As sucessivas vitórias de homens franzinos (contra gigantes musculosos) fizeram com que, bem cedo, os mais incrédulos acreditassem na invencibilidade do JIU-JITSU. Após anos de lutas e de estudos, desenvolveu-se um verdadeiro Estilo Brasileiro de JIU-JITSU, com aprimoramento de luta de chão e o lançamento, pela primeira vez, da luta de JIU-JITSU sem kimono valendo, inclusive, golpes traumáticos.
Atualmente o JIU-JITSU Brasileiro encontra-se em plena expansão a nível mundial, conseqüência de um trabalho que teve seu início na década de 20, através de Carlos Gracie, que repassou aos seus irmãos os conhecimentos recebidos de Conde Koma. Mais adiante, em fase posterior, Hélio Gracie, discípulo e seguidor fiel das idéias de seu irmão mais velho, manteve a tradição, ao tempo em que aguardava a vinda de novas gerações, com nomes notáveis como:
Carlson Gracie, Rolls Gracie, Rickson Gracie, o atual n.º 1, e tantos outros nomes de projeção nem tanto repercussiva, porém dignos de toda a admiração e respeito.
Fica, portanto, o compromisso de uma nova abordagem (com enfoque aos grandes nomes, tanto do passado quanto atuais), do nosso JIU-JITSU Brasileiro.
A COOPERBOM TURISMO é uma cooperativa que apoia o esporte através de seus projetos esportivos em desenvolvimento.
Os alunos do JIU-JITSU ou seus pais que se cooperarem à Cooperativa para apoiar o esporte de seus filhos, terão todos os benefícios da cooperativa, onde 1/3 do capital a integralizar que é de R$ 720,00 irá para o FAE - Fundo de Assistência ao Esporte. A mensalidade/cota é de apenas R$ 20,00 e as vantagens de ser um cooperado são grandes principalmente para o praticante do esporte.
Para saber mais sobre este projeto, nos envie um e-mail cooperbomturismo@hotmail.com ou ligue 73 2321 5563.