quarta-feira, 24 de agosto de 2011

2012 Ano Internacional das Cooperativas pela ONU

"As cooperativas são um lembrete para a comunidade internacional de que é possível conseguir tanto a viabilidade econômica quanto a responsabilidade social."
Ban Ki-moon – Secretário Geral da ONU

A Assembleia Geral da ONU vai lançar o Ano Internacional das Cooperativas (2012) na segunda-feira, 31 de outubro, 2011 em Nova York. O Departamento das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais (UNDESA), em colaboração com o Comitê para a Promoção e Progresso das Cooperativas (COPAC), está fazendo os preparativos.
No Ano Internacional das Cooperativas, uma série de eventos serão realizados ao longo do dia:
  1. Na parte da manhã, ocorrerão duas mesas-redondas informal abordando os temas, "As empresas Cooperativas constroem um mundo melhor”: “Contribuições para o Desenvolvimento das Cooperativas" e "Como fortalecer cooperativas para o Desenvolvimento Sustentável".
  2. Na parte da tarde, o Secretário-Geral e o Presidente da Assembleia Geral lançarão oficialmente o Ano Internacional das Cooperativas (AIC), durante a Sessão Geral Plenária.
  3. Cooperativas, organizações da sociedade civil, os Estados-Membros e organizações do sistema das Nações Unidas estarão também organizando eventos paralelos para comemorar a ocasião e para destacar o papel diversificado de cooperativas em desenvolvimento.
O lançamento tem como objetivo aumentar a consciência pública sobre as cooperativas e suas contribuições para o desenvolvimento socioeconômico, para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, e promover a formação e o crescimento das cooperativas em todo o mundo. Estados-membros, observadores, organizações do sistema das Nações Unidas, * Cooperativas e Organizações Não-Governamentais no estatuto consultivo junto do Conselho Econômico e Social são convidados a participar do lançamento do IYC (International Year of Cooperatives).
O lançamento global do Ano Internacional das Cooperativas foi estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas na sua resolução 65/184.



Nenhum comentário: